Natal perdão

282
Feliz Natal

Jovens na desgraça, na desalento da vida.

Perdão! ÉNatal!

Vozes embargadas, vozes que gritam, protestam contra a fome, o vício, a guerra, a desgraça, a dor…

Meu Deus! Meu Deus!

Crianças morrendo, insensibilidade humana.

A seca. O verde morrendo.

Mãos duras, fechadas, incapazes de construir, edificar.

Busca desenfreada do poder desmesurado.

Choro da mãe pela perda do filho.

Perdão! É Natal!

O verso sai desordenado, cresce a descrença nos homens, a força da máquina.

Grevistas clamam por justos salários, melhoria de vida.

Natal!

Tempo de trégua.

Tempo de passarmos nossa vida a limpo.

Tempo de amar com o amor maior, que Cristo deixou como exemplo.

Natal! Perdão!

Feliz Natal

Maria de Lourdes Tramontina Breda Guaporé-RS